Os fatos que envolvem a luta entre Weidman e Belfort

Os fatos que envolvem a luta entre Weidman e Belfort

Roberto Freitas

 

O brasileiro Vitor Belfort tenta tomar o cinturão dos médios do americano Chris Weidman em luta marcada para este sábado (23), em Las Vegas, Estados Unidos. Dito isso, resolvi elencar para o internauta que acompanha as minhas colunas no MMA+, quatro fatos que julgo importantes para o combate, um dos mais esperados dos últimos tempos. Então, vamos a eles:

Qual Belfort vai aparecer na luta?

Não há nenhum lutador no MMA que tenha sofrido tantas transformações físicas e emocionais como Vitor Belfort. Na maior oportunidade e no melhor momento de sua vida, eu particularmente não tenho certeza qual versão do Belfort vai aparecer. O que sei é estamos diante de um dos atletas que mais evoluiu com o passar dos anos. Talvez seja o único da sua geração que ainda pode sonhar tão longe em uma carreira tão difícil.

Vitor sem o uso do TRT

Todos querem ver o Vitor remodelado, sem o uso de TRT. A mídia internacional desmereceu o brasileiro em suas últimas lutas em razão do tratamento de reposição hormonal que ele era submetido. Não sou a favor do uso do TRT, mas não existe hormônio que faça acertar os chutes que Belfort acertou na cabeça de Bisping e Rockhold. Entender que o excesso hormônios e músculos tem mérito técnico num chute desses é como achar que a velocidade de Usain Bolt é em razão do uso de sua sapatilha dourada. Frank Mir, Ben Rothwell, Dan Henderson, Antônio Pezão e Sonnen também já fizeram uso de TRT e caso tentassem aplicar um chute rodado como aquele correriam sério risco de romperem o ligamento.

Chance de fazer história

Com uma carreira que vai completar 20 anos, Vitor Belfort é do tipo de lutador que já passou por tudo, tanto fora como dentro da arena de luta. Já lutou nos melhores eventos e com os melhores lutadores do mundo.  Mesmo sendo considerado o azarão da noite, Belfort sabe que é possível apagar as luzes do UFC 187 com o cinturão no seu ombro e ser o único lutador na história que conseguiu conquistar três títulos em categorias diferentes.

A invencibilidade de Weidman

O americano ainda não sabe o que é derrota. Em suas 12 lutas no MMA, Weidman se destacou pela agressividade, força e uma envergadura de quase dois metros. Em razão das vitórias contra os brasileiros Anderson Silva (duas vezes), Lyoto Machida e Demian Maia, o “All American” recebeu o apelido de brazilian killer (matador de brasileiros). O que realmente tenho certeza é que essa luta vai ser eletrizante, não há um favoritismo tão definido, a nossa torcida é que este cinturão volte para o Brasil e fique aqui por um bom tempo.

O Canal Combate transmite o UFC 187 a partir das 19h (horário de Brasília). O card completo é o seguinte:

Card Principal

Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Anthony Johnson
Peso-médio: Chris Weidman x Vitor Belfort
Peso-leve: Donald Cerrone x John Makdessi
Peso-pesado: Travis Browne x Andrei Arlovski
Peso-mosca: Joseph Benavidez x John Moraga

Card Preliminar

Peso-mosca: John Dodson x Zach Makovsky
Peso-meio-médio: Josh Burkman x Dong Hyun Kim
Peso-médio: Uriah Hall x Rafael Sapo
Peso-palha: Rose Namajunas x Nina Ansaroff
Peso-meio-médio: Mike Pyle x Colby Covington
Peso-leve: Leo Kuntz x Islam Makhachev
Peso-mosca: Josh Sampo x Justin Scoggins

Foto: superlutas.com.br

ROBERTO FREITAS é formado em direito, pós-graduado em gestão pública, diretor de empreendedorismo da Prefeitura de Sorocaba, presidente do Iesa (Instituto de Educação Sócio Ambiental) palestrante, faixa marrom em jiu-jítsu, colunista de MMA do jornal Bom Dia de Sorocaba, colunista de MMA da Rádio Ipanema de Sorocaba no quadro Planeta MMA e fã de carteirinha do esporte que mais cresce no mundo: o MMA. Twitter: @freitasbjj