O que ficar de olho no UFC São Paulo

O que ficar de olho no UFC São Paulo

Roberto Freitas

Trilogia Belfort x Henderson – Agora sem TRT 

Vitor Belfort vai encarar o veterano Dan Henderson pela terceira vez em sua carreira. A colisão de dois monstros do MMA já valeria o ingresso, mas esse encontro vai mostrar quem ainda poderá sonhar com uma disputa de título. Neste duelo, Vitor tem a vantagem por ser mais habilidoso e mais rápido. Já Hendo continua com aquela direita destruidora de sempre. A verdade é que sem TRT eles ficam mais humanos e, pior, menos confiantes.

Fábio Maldonado x Corey Anderson

É a chance do nosso “Fião” mostrar que é um dos principais lutadores do MMA, de fazer o show independente da vitória, de deixar tudo que pode dentro do octógono mais insalubre do mundo. Fábio Maldonado precisa esquecer sua última derrota no UFC. Mais que isso, fazer o público lembrar que ele é inconsequente e sua motivação é sentir o sangue escorrer no seu rosto. Maldonado tem se internado em uma das melhores equipes de MMA do planeta, a América Top Team, e por lá cada treino é uma luta. Se não treinar no limite, apanha. Acredito que esteja nascendo um novo Maldonado, mais completo e mais duro do que nunca.

Glover Teixeira  x Patrick Cummins

No papel este é o tipo de combate que não consigo imaginar um cenário onde Cummins consiga sobreviver por 15 minutos trancados dentro da gaiola com uma máquina compressora chamada Glover Teixeira. Glover vai engolir Patrick até o segundo round por ser mais completo e com vontade de enorme de encontrar o caminho da vitória após duas derrotas consecutivas.

Thomas Almeida x Anthony Birchak

Thominas, em minha opinião, era um fenômeno que garantiria um cinturão para o Brasil até o final de 2016. Mas a sua última luta contra Brad Pickett, apesar da vitória, acendeu uma luz amarela e me fez colocá-lo no mesmo patamar que Eric Silva, uma promessa que pode não acontecer. Espero que esteja errado e que nesta luta ele volte a brilhar e convencer.

Gilbert Durinho x Rashid Magomedov

Talvez seja a luta mais difícil da noite. Rashid Magomedov é aquele lutador encardido, casca-grossa que sabe impor um jogo com muita pressão. Já Gilbert Durinho têm um talento no jogo de chão que o classifica como um dos mais perigosos do MMA mundial. O que faz a diferença de Durinho é a cabeça de campeão. Ele é obstinado e tem treinado para isso.

Foto: Reprodução/Facebook

ROBERTO FREITAS é formado em direito, pós-graduado em gestão pública, diretor de empreendedorismo da Prefeitura de Sorocaba, presidente do Iesa (Instituto de Educação Sócio Ambiental) palestrante, faixa marrom em jiu-jítsu, colunista de MMA do jornal Bom Dia de Sorocaba, colunista de MMA da Rádio Ipanema de Sorocaba no quadro Planeta MMA e fã de carteirinha do esporte que mais cresce no mundo: o MMA. Twitter: @freitasbjj