O Brasil perdeu a hegemonia no MMA?

O Brasil perdeu a hegemonia no MMA?

Roberto Freitas

O Brasil vem perdendo a cada dia sua força no MMA mundial. A terra que em 2012 possuia quatro dos oito cinturões do UFC – Anderson Silva, Junior Cigano, José Aldo e Renan Barão – agora se vê obrigado a se contentar com apenas um título.

Vangloriávamo-nos quando nossos representantes viajam o mundo para destruir seus adversários, agora de maneira irônica, isso acontece conosco. Estamos sendo derrotados dentro da nossa casa ao ponto de alguns gringos se intitularem como “serial killer” dos brasileiros.

Algumas perguntas estão no ar com certo pessimismo em suas respostas: Será que não somos mais os melhores do MMA? Temos chances de recuperar o espaço que um dia nos pertenceu? Quais são os lutadores que podemos apostar como futuros campeões do UFC?

Apesar da atual crise de campeões, entendo que não temos motivos para jogar a toalha. O Brasil ainda é um dos principais celeiros do MMA moderno. Afirmo isso porque temos dois campeões no Belattor, que é segundo evento mais importante do MMA atual, sem falar em todos os outros que figuram entre os tops 5 de suas respectivas categorias dentro do próprio UFC e estão prestes a brigar pelo tão sonhado cinturão. Vamos analisar essa informação com um pouquinho mais de otimismo:

Fabrício Werdum – enfrentaria Cain Velasquez no próximo dia 15, no México, mas agora lutará com neozelandês Mark Hunt, combate que valerá o cinturão interino dos pesos pesados.

Vitor Belfort – vai encarar o campeão dos pesos médios (84 quilos) Chris Weidman em fevereiro e tem chances reais de sair vitorioso.

Ronaldo Jacaré – já sabe que enfrentará o vencedor de Weidman x Belfort. Na minha opinião, Jacaré será o futuro campeão da categoria.

John Lineker – precisa passar pelo americano McCall no Brasil e, caso vença, tem grandes chances de ser o desafiante ao cinturão dos pesos-moscas (57 quilos).

Renan Barão – apesar de não ter um ano lá muito bom, o ex-campeão dos pesos-galos (61 quilos) retorna ao octógono em dezembro, aqui no Brasil. Caso vença, é cotado para ser o adversário do atual campeão TJ Dillashaw.

Raphael Assunção – nome que passa despercebido pelos fãs brasileiros já deveria ter tido sua chance. Com sete vitórias seguidas na divisão dos galos, o brasileiro só aguarda a definição dos chefões do Ultimate para que, enfim, possa mostrar sua técnica com o dono do cinturão.

Junior Cigano – trocou de equipe e continua sendo um dos principais nomes dos pesados. Antes de pensar em título vai fazer frente com o Stipe Miocic. Se ganhar, deverá ter outra chance pelo cinturão.

Rafael dos Anjos – está com moral na organização e, na melhor fase da sua carreira, só aguarda o anúncio para lutar pelo título dos leves (70 quilos).

Anderson Silva – é impossível não relacionar o melhor lutador da história do UFC e que detém a maioria dos recordes da organização. Spider é o único que pode furar a fila do cinturão facilmente.

Deixe aqui sua opinião!

Roberto Freitas,

Contato: robertofreitas.sor@gmail.com

Foto: Jayne Kamin-Oncea-USA TODAY

ROBERTO FREITAS é formado em direito, pós-graduado em gestão pública, diretor de empreendedorismo da Prefeitura de Sorocaba, presidente do Iesa (Instituto de Educação Sócio Ambiental) palestrante, faixa marrom em jiu-jítsu, colunista de MMA do jornal Bom Dia de Sorocaba, colunista de MMA da Rádio Ipanema de Sorocaba no quadro Planeta MMA e fã de carteirinha do esporte que mais cresce no mundo: o MMA. Twitter: @freitasbjj