Musculoso e burro! Será?

Musculoso e burro! Será?

Everton Gori

Quem pratica musculação, lutas ou algo que exija esforço físico, com certeza, já foi classificado como burro, de pouco estudo ou que não gosta de ler. Eu, particularmente, gosto muito de ler, estudar e dar continuidade ao meu aprendizado, mesmo depois de formado.

Pra quem não sabe, sou professor e bacharel de educação física. Também estudei nutrição e dietética, cursei inglês, entre outros. Sempre tive por hábito ler revistas e livros. Hoje, com o advento da internet, passo pelo menos duas horas do dia estudando algo relacionado ao meu trabalho.

Então, por conta destas citações é, no mínimo, irritante ser chamado disso, daquilo ou ver ótimos profissionais que estudaram anos serem julgados desta forma. O fato de eu estimular minha musculatura, não impede que eu faça o mesmo com meus neurônios!

Existem médicos fisiculturistas, lutadores que falam duas ou até três línguas de maneira fluente, outros engenheiros mecânicos; lutadores que se tornaram empresários, o que torna estes mais inteligentes, pois eles têm muito mais tarefas a realizar e equilibrar.

A maioria dos atletas de elite tem ótima formação intelectual. Alguns são formados, porém abortam a profissão para se dedicar ao esporte, como é o caso do Demian Maia, que é jornalista, e um dos melhores lutadores do MMA mundial.

Como se não bastasse, ainda temos – dentro do ramo – “treinadores” que têm preconceito com treinadores, cuja aparência física é mais desenvolvida. Parece piada, né? Seguindo esta lógica, atletas são burros, pois o fato de exercitar os músculos interfere no nível do seu intelecto e treinadores não devem ter aparência de pessoas que se exercitam, pois serão burros também (rsrsrs…).

Foto: Divulgação

EVERTON GORI, O ALEMÃO DO WRESTLING, é professor de educação física, faixa roxa em jiu-jítsu, atleta e professor de wrestling. Possui mais de 13 anos de experiência em artes marciais como boxe, caratê e kickboxing.