Drogas e esportes caminham juntos

Drogas e esportes caminham juntos

Everton Gori

Não era para ser assim, mas drogas e esportes caminham juntos e no mundo das lutas não é diferente, pois medicamentos que melhoram a performance são usados desde que se sabe de sua eficácia. Mas quais drogas são mais usadas e se realmente elas melhoram a performance, pode levar à morte?

Vou responder algumas dessas questões e também derrubar mitos idiotas e sem sentido. No entanto, quero salientar que o propósito é orientar atletas, principalmente os novos, que escutam isso e aquilo sobre esses medicamentos e acabam fazendo uso de forma abusiva, errônea e sem acompanhamento profissional.

A lista de lutadores pegos em exames antidoping é extensa: Chael Sonnen, Josh Barnett, Vitor Belfort, Pezão, Phil Baroni, Cris Cyborg, Tiago Tavares, Alistair Overem, entre outros.

Basicamente o primeiro esteroide da lista é a testosterona (hormônio masculino na versão sintética) que, normalmente, é a base de muitos dos ciclos e tem como melhora: ganho de força, menor tempo de recuperação entre os treinos, aumento da libido, aumento da agressividade (o que em determinado momento pode ser interessante) e ganho de massa muscular.

A boldenona é um produto criado, originalmente, para cavalos, mas como sabemos seu uso não se limita aos equinos. Esteroide favorito de muitos lutadores, este tem como vantagem: proteção das articulações, aumento do apetite (para quem tem como intenção ganhar músculos comer é essencial) e melhor oxigenação dos músculos.

A nandrolona é muito similar a boldenona, mas com maior potencial anabólico. Já a oximetolona (foto) pode ser considerado o esteroide de maior potência, pois causa expressivo ganho de forca e massa muscular, aumenta explosão e velocidade. Praticamente não existe overtraining (excesso de treino) usando tal medicamento.

A oxandrolona, muito usada por mulheres, por ser menos agressivo e fácil de se eliminar no caso de um exame antidoping com data ou período em vista. Ela aumenta velocidade e é um dos poucos que melhora a capacidade cardiorrespiratória.

A metandrostenolona tem a fama de melhor esteroide oral para se usar por ser menos agressivo ao fígado e bastante anabólico. Causa rápido ganho em tamanho e força, melhora a força como os demais e combina com quase todos esteroides quando a ideia é um combo.

A popular  GH (hormônio do crescimento) dito como o milagroso – mas de milagre não tem nada a não ser conseguir comprá-la todo mês – é um dos produtos mais caros. Normalmente quem faz uso deste anabolizante é da elite do esporte. O que acontece é que ele potencializa os efeitos das outras drogas.

Outros esteroides, em sua maioria, são totalmente estéticos e alguns lutadores mal orientados fazem uso de drogas que não têm relação alguma com performance, como é o caso, por exemplo, da trembolona, muito popular na internet e nas academias e que, infelizmente, agora também entrou no mundo das lutas.

– Mas Alemão até agora só vi pontos positivos em tomar, então vou ligar agora para o meu amigo falando que vou ficar com aquela caixinha.

Pois bem, os efeitos adversos, em sua maioria, são semelhantes com mais para umas e menos para outras: dor de cabeça, aumento da pressão arterial, ginecomastia, aumento do colesterol LDL, agressividade exagerada, ereções espontâneas repetidas várias vezes ao dia, toxicidade hepática, rompimento de tendões e sobrecarga na função renal.

– E morte? Vejo notícias de pessoas que morreram na TV.

Infelizmente estes indivíduos pouco instruídos, na maioria dos casos, fazem uso das drogas anabolizantes com álcool, cocaína, maconha, remédios para pressão alta, remédios para o estômago, remédios para dormir ou não sabem nem calcular a dose de um medicamento para um para cavalo para um humano de 70 quilos. Assim, o pobre coração não aguenta.

O esteroide, em si, não é capaz de matar, pois o mesmo foi criado com intenção de melhora. Todos esses medicamentos são usados para curar depressão, anemia, tratamento de Aids e muitas outras doenças. A diferença é o abuso e o uso sem orientação profissional.

– E quanto aos mitos? Se alguém tomar esteroide vai ter câncer de fígado?

Provavelmente não! Seria o mesmo que dizer que quem toma uma cerveja terá cirrose, pois o fígado terá o mesmo problema, ao invés de quebrar os medicamentos e colocá-los na corrente sanguínea terá de lidar com o álcool que, dependendo da dose, é muito mais tóxico ao fígado.

– Esteroides deixam broxa?

Normalmente atletas que fazem uso, o fazem com testosterona (hormônio masculino), então se você homem natural e saudável com testosterona estável consegue fazer feliz sua esposa, imagine um indivíduo com três ou cinco vezes mais testosterona que você.

– Pessoas que tomam esteroides não tem força é só tamanho!

Essa é a maior imbecilidade que se pode ouvir. Os medicamentos são considerados doping por uma razão: causam extremo ganho de força. Por isso a razão de serem abolidos. É injusto com quem não toma.

– Se eu tomasse também estaria do tamanho dele!

Essa frase só tem sentido se você treina de forma intensa e frequente e faz dieta regrada, do contrário só tomar as agulhadas ou comprimidos (parte fácil) não o tornaria do tamanho de um indivíduo em uso de esteroides.

Espero que eu tenha conseguido esclarecer os pontos positivos e negativos, também as falácias e mentiras sobre o uso dessas substâncias e você consiga se manter longe disso ou, pelo menos, pense duas vezes antes entrar nessa!

Foto: Divulgação

EVERTON GORI, O ALEMÃO DO WRESTLING, é professor de educação física, faixa roxa em jiu-jítsu, atleta e professor de wrestling. Possui mais de 13 anos de experiência em artes marciais como boxe, caratê e kickboxing.