Anderson Silva x Nick Diaz – a colisão

Anderson Silva x Nick Diaz – a colisão

Roberto Freitas

De um lado está Nick Diaz, um lutador que não tem medo de caminhar para frente procurando ferir seus adversários como uma onda que quebra insistentemente contra um penhasco, aparentemente sem causar grandes danos até que a rocha começa a mostrar rachaduras e fissuras irreparáveis. Diaz é um animal indomesticável que não demonstra alegria pela vida. Escolheu o MMA porque em cada luta deixa um pouco dele no octógono.

No outro canto está Anderson Silva, o cara do momento. É o tipo de atleta que nasceu de uma combinação quase impossível de se repetir na história do planeta. Um caso raro de talento que as artes marciais já presenciou.

Diferente do seu adversário, Anderson caminha quase sempre os primeiros minutos estudando a presa, decifrando milhares de informações para então acertar um único soco, chute, joelhada ou qualquer arma que entender que poderá ser fatal.

Esses dois homens já ganharam o título dos melhores pugilistas do MMA e sábado (31) será o dia em que veremos dois lutadores com pretensões diferentes. Um querendo voltar ao lugar mais alto do Olimpo qual não deveria ter saído. Já o outro quer mostrar ao mundo que aranhas, lendas e mitos só existem em histórias em quadrinhos e que vilões adoram aprontar surpresas e estragar grandes festas.

Foto: mmafighting

ROBERTO FREITAS é formado em direito, pós-graduado em gestão pública, diretor de empreendedorismo da Prefeitura de Sorocaba, presidente do Iesa (Instituto de Educação Sócio Ambiental) palestrante, faixa marrom em jiu-jítsu, colunista de MMA do jornal Bom Dia de Sorocaba, colunista de MMA da Rádio Ipanema de Sorocaba no quadro Planeta MMA e fã de carteirinha do esporte que mais cresce no mundo: o MMA. Twitter: @freitasbjj